XV usa a cabeça para se garantir na elite e aumentar drama do Linense

Nhô Quim faz dois gols de bola parada, vence a segunda consecutiva e elimina risco de rebaixamento. Elefante, por sua vez, se afunda na degola

Era um duelo dominado pelo aspecto psicológico. Em posição delicada, XV de Piracicaba e Linense precisavam controlar os nervos e administrar a pressão para afastar o perigo de rebaixamento no Paulistão. Quem tivesse mais cabeça no lugar, levaria a melhor. E o XV, literalmente, usou a cabeça para fazer o dever de casa, se garantir na elite por mais uma temporada e aumentar o drama do Elefante. Com gols dos zagueiros Rodrigo e Leonardo Luiz em jogadas pelo alto, o Nhô Quim venceu por 2 a 0, eliminou qualquer risco de queda e colocou o Linense em situação complicada na luta contra a degola.

O segundo triunfo consecutivo deixa o XV com a cuca fresca para as duas rodadas finais. Com 17 pontos, o time abriu sete de vantagem para o primeiro do Z-4, que é justamente o Elefante. A distância é suficiente para riscar a palavra rebaixamento do vocabulário alvinegro. O clube ainda alimenta uma esperança mínima de chegar às quartas de final. É o lanterna do Grupo B, a cinco pontos do vice-líder do Ituano. Para ficar com a segunda vaga, precisa fazer 100% nas partidas restantes e torcer por tropeços de Ituano, Corinthians e Audax. Mas agora, com a primeira divisão garantida, o que vier é lucro para o Nhô Quim.

Do lado do Linense, o cenário é desesperador. Com a quinta derrota seguida, a equipe estaciona nos 10 pontos, a um do Comercial, o primeiro fora da degola. Com os resultados da 13ª derrota, a briga na parte de baixo fica restrita a Oeste (oito pontos), Atlético Sorocaba (10), Linense, Comercial e Mogi (13). Três deles farão companhia ao já condenado Paulista na Série A2 do próximo ano.

XV e Linense voltam a campo no sábado. Fora de casa, o Nhô Quim terá pela frente o Atlético Sorocaba. Em Lins, o Elefante recebe o Botafogo em busca da reabilitação para respirar na elite. Os dois jogos estão marcados para as 18h30.

Bolas paradas decidem para o Nhô Quim

Pela necessidade de os dois times vencerem, esperava-se um início de primeiro tempo aberto, com prioridade para o ataque. A postura até foi ofensiva de ambos os lados, mas as equipes esbarravam nos próprios erros, principalmente de passes, impedindo a construção de jogadas. O Linense, mais desesperado que o XV, tomou a iniciativa nos primeiros minutos, mas o ímpeto acabou rapidamente. O Nhô Quim mostrou eficiência para transformar bolas paradas em chances reais e abrir vantagem antes do intervalo.

Rodrigo sai do chão para cabecear e marcar o primeiro gol Foto: Michel Lambstein

Rodrigo sai do chão para cabecear e marcar o primeiro gol
Foto: Michel Lambstein

A dupla de zaga fez a diferença para os mandantes. Não tanto pelo trabalho defensivo, até porque o baixo poder de fogo do Linense justificava o posto de pior ataque do Paulistão, com apenas sete gols marcados. Rodrigo e Leonardo Luiz contribuíram efetivamente na frente. Acostumados a cortar bolas paradas, eles viveram o outro lado da moeda.

Em dois lances semelhantes, eles aproveitaram cobranças de escanteio para, de cabeça, colocar o XV na frente. Primeiro, Rodrigo, aos 13 minutos, abriu o placar. Depois, aos 32, foi a vez de o capitão alvinegro ampliar. A diferença de um para o outro é que Gilsinho bateu da esquerda para Rodrigo testar, enquanto a bola saiu dos pés de Alan Bahia da direita para a cabeça de Leonardo. Só depois dos dois gols que o Linense acordou ofensivamente. João Paulo, em cobrança de falta, e Oliveira, de cabeça, levaram perigo.

XV se fecha e segura vitória

O Linense foi para o tudo ou nada no segundo tempo. As substituições de Roberto Fonseca tinham o intuito de aumentar o poder ofensivo do Elefante. Os meias Branquinho e Nikão entraram nos lugares dos laterais Bruno Ribeiro e João Paulo, respectivamente. Mais na base do abafa do que da organização tática, os visitantes se lançaram ao ataque.

Aélson foi um dos destaques pelo lado esquerdo do Nhô Quim Foto: Michel Lambstein

Aélson foi um dos destaques pelo lado esquerdo do Nhô Quim
Foto: Michel Lambstein

As oportunidades até que apareceram, mas foram insuficientes para o Linense. Antes de sair, João Paulo, em nova cobrança de falta, colocou Mateus para trabalhar. Anselmo, a última aposta de Fonseca, perdeu boa chance de diminuir ao testar para fora livre. Os lances ligaram o alerta de Edison Só. Apesar do placar, o técnico do XV não queria dar bobeira e pediu para o time segurar a bola no campo de ataque. Os jogadores entenderam o recado e passaram a administrar a vantagem com mais tranquilidade.

O tempo foi passando sem o Linense ameaçar a vitória do XV. A contagem regressiva do Nhô Quim para garantir a permanência na elite chegou ao fim. A do Linense ainda não terminou. Faltam mais dois jogos para a salvação ou para a condenação.

Fonte: Globoesporte.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s